Consciência Fonológia

Projeto

Menu Programas

A consciência Fonológia e a aprendizagem da escrita e da leitura

Os resultados da investigação contemporânea são sugestivos que a aprendizagem da escrita e da leitura dependem de um domínio do conhecimento da língua, em que grande parte será explícito – Consciência linguística.

Sendo este conhecimento um fator de sucesso na eficácia da leitura e da escrita, implicadas nas aprendizagens formas de avaliação escolares, então, indiretamente, a consciência linguística favorece o
sucesso escolar .

A (meta)linguagem, enquanto processo metacognitivo, refere-se ao conhecimento deliberado, refletido, explícito e sistematizado das propriedades e operações da língua. É totalmente consciente – ao realizarmos uma análise linguística descritiva, comparativa, etc.. ativamos este tipo de processos.

O conhecimento linguístico corresponde ao domínio implícito e inconsciente das regras utilizadas. Implica a compreende e utilização da língua sem qualquer tipo de consciência das regras e processos envolvidos.

A consciência linguística refere-se à consciência que um falante demonstra sobre as realizações e propriedades da língua maternal. Nas tarefas de consciência linguística realizamos um distanciamento,
utilizando a linguagem como objeto de pensamento, para refletir e manipular propriedades (embora possa não ser formal).

Desta forma, a consciência fonológica é definida como a capacidade para refletir e manipular conscientemente as unidades fonológicas fora de um contexto comunicativo servindo-se de processos cognitivos de nível superior para executar diferentes operações (tarefas).

Assim, podemos distinguir três níveis diferentes no domínio fonológico:
1º nível – Conhecimento fonológico implícito
2º nível – Conheciemento fonológico explícito – Consciência fonológica
3º nível – (Meta)fonologia

A consciência fonológica obedece a uma estrutura estratificada composta por diferentes níveis, remetendo para a consciência de unidades como a palavra, a sílaba e os seus constituintes, o acento e o
segmento.

O sucesso na execução de diferentes tarefas fonológicas irá depender das unidades alvo de reflexão ou manipulação mas também do tipo de tarefas utilizadas bem como dos mecanismos cognitivos por elas recrutadas.

A literatura refere a seguinte ordem de tarefas (de acordo com a facilidade de execução): síntese, reconstrução, identificação, deteção, exclusão, supressão, segmentação e manipulação.

A consciência fonológica desde o pré-escolar
As crianças demonstram desde muito cedo (2/3 anos) uma sensibilidade para diferentes unidades fonológica bem como para algumas tarefas de consciência fonológica.
São capazes se segmentar palavras em sílabas, de realizer tarefas de reconstrução silábica, de percepcionar diferenças de acento e entoação e até de realizar identificação fonémica.
As crianças em idade pré-escolar parecem conseguir melhores resultados nas tarefas de síntese, análise ou deteção de sílabas e mais dificuldade em tarefas que implicam a supressão das unidades silábicas. Falham muito em tarefas que implicam a análise de segmentos.

Apesar disto, diversos estudos têm demonstrado que após aplicação de programas de estimulação da consciência fonológica, os resultados nas tarefas de consciência fonémica em crianças do pré-escolar, melhoram muito significativamente.

Compare-se os resultados:

consc.fono

A Implementação do Programa de Estimulação da Consciência Fonológia no Colégio de Campo de Flores
O programa de estimulação da consciência fonológica foi concebido e adaptado de acordo com o perfil linguístico das crianças do Colégio Campo de Flores que se encontram entre os 3 e 5 anos.
Este programa consiste na implementação de atividades (2 a 3 x por semana) que envolvem tarefas de segmentação de frases em palavras, manipulação de sílabas, identificação da sílaba tónica, identificação de fonemas, etc. As atividades são desenvolvidas maioritariamente em grupo, no entanto foram criados momentos de trabalho individual de forma a acompanhar o desenvolvimento das competências para cada criança e desta forma responder às necessidades individuais do aluno.

O programa tem como principal objetivo a estimulação da consciência fonológica e das suas diferentes unidades: palavra, sílaba, fonema e acento. Esta estimulação é realizada através de tarefas de consciência fonológica (segmentação, supressão, manipulação, etc.) envolvendo as diferentes unidades.
Pretende-se que as crianças desenvolvam uma capacidade metafonológica sobre as diferentes unidades fonológicas trabalhadas já que estas competencias são fundamentais para o sucesso da aprendizagem formal da leitura e da escrita.

Os objetivos são distribuidos da seguinte forma:

1. Objetivos e atividades 3 anos
Palavra e sílaba
• Familiarização da unidade palavra e sílaba e as formas geométricas utilizadas ao longo do programa (retângulo e sílaba);
• Segmentação de frases simples sem elementos de ligação, em palavras através do batimento na mesa por cada palavra;
• Segmentação de palavras simples e curtas em sílabas, através do batimento de palmas por cada sílaba

2. Objetivos e atividades 4 anos
Palavra
• Segmentação de frases com elementos de ligação, em palavras através do batimento na mesa por cada palavra;
• Supressão de palavras na frase;
• Adição de palavras na frase;
• Manipulação de palavras na frase;
• Introduzir o registo em papel da segmentação da frase recorrendo à representação com o retângulo;
• Familizarização dos procedimentos para identificação da sílaba tónica (chamar a palavra);
• Sensibilidade para a extensão de palavra (palavras grandes e pequenas);
Sílaba
• Segmentação de palavras com formatos silábicos mais complexos em sílabas, através do batimento de palmas por cada
sílaba;
• Identificação de sílabas de acordo com a posição na palavra;
• Identificação da extensão de palavra através do número de sílaba

3. Objetivos e atividades 5 anos
Sílaba
• Identificação e comparação de sílabas de acordo com a posição na palavra;
• Síntese silábica;
• Adição silábica
• Supressão silábica em posição inicial, medial;
• Manipulação silábica;
• Identificação de rimas;
• Identificação da sílaba tónica.

Fonema
• Introdução ao gestos e cartões do método Os Sons d’A Relicário;
• Exploração das propriedades segmentais para todos os sons do português:
• Sons da língua, dos lábios ou da garganta;
• Sons soprados, explosivos ou discritos;
• Sons que vibram e que não vibram
• Sons nasais e não nasais
• Identificação dos diferentes fonemas em diferentes posições silábicas e da palavra
• Síntese fonémica
• Segmentação fonémica

A consciência fonológica e a aprendizagem da leitura e da escrita Nos códigos alfabéticos, tal como o Português Europeu, as letras representam segmentos fonéticos e fonológicos pelo que a compreensão deste código implica a noção desta relação bem como a execução de operações para a conversão e análise destas unidades.
São inúmeros os estudos que demonstram que melhores resultados nas tarefas silábicas e fonémicas aumentam a facillidade e o sucesso na aprendizagem da escrita e da leitura já que facilitam a conversão fonema-grafema e permitem aceder à informação e organização das unidades do oral necessárias na representação escrita. Ex: Para juntar as sílabas ba-ta-ta necessitamos da capacidade de realizar uma tarefa de síntese silábica.
Desta forma um condicionamento na execução de tarefas fonológicas terá influência na aprendizagem da escrita e da leitura.
Para ser um bom leitor ou um bom escritor, para além de outras competências neurobiológicas e psicocognitivas, é absolutamente necessário um bom conhecimento linguístico (ter um sistema de regras
intato e functional) e um bom desempenho em tarefas de consciência linguística (boa capacidade para executar tarefas com diferentes unidades linguísticas) de forma a assegurar as principais vias de processamento da informação lida e escrita estudadas pela psicolinguística.

Autoras: Dina Caetano Alves e Tânia Reis – Relicário de Sons